Abrindo as portas para o mundo

 

Imagem

Share your life – Be a CouchSurfer

Antes de tomar a decisão de colocar uma mochila nas costas e sair sem rumo – ou com rumo, eu vivia um momento em que enganava a mim mesma pensando que não tinha “tempo” para viajar, pois trabalhar (e estudar) me tomava a vida, e eu só tinha 17 anos (agora eu tenho 21, não se passaram taaaantos anos mas posso garantir que meu crescimento cronológico não acompanhou o quanto cresci como pessoa).  Enfim, em 2011 uma amiga de uma amiga, que hoje não é só uma amiga minha também, mas é uma inspiração para qualquer pessoa que a conheça (A Mala e o Mundo), me apresentou o que mudaria minha vida e visão de mundo pra sempre: O couchsurfing.org

Se você está se perguntando o que é isso, e é uma pessoa que tem muita vontade de ser mais um viajante neste mundo e conhecer lugares não só como um turista comum, mas poder conhecer como um morador e ainda em troca de diversão e experiências compartilhadas ter um local para dormir e não ter que pagar nada por isso. Ou se você não “pode” viajar no momento como eu não podia em 2011, pode mostrar a sua cidade a um viajante de qualquer parte do mundo, conhecer pessoas incríveis, compartilhar sua casa, sua cidade, seus costumes e sua vida a um coração sedento em absorver tudo o que o mundo tem a oferecer, aqui um resumo do que é o Couchsurfing, e eu espero que seus olhos brilhem como o meu brilhou alguns anos atrás e você se junte a nossa comunidade, que além de divertida, abre as portas para tantos lugares, festas, encontros, novos amigos, e muito mais.

Enfim, em 2011 eu cliquei em “Sign up” e comecei a receber pedidos de hospedagens (CouchRequests) de Franceses, Espanhóis, Colombianos, Americanos, Escoceses, Alemães, Brasileiros, e etc. Entre esses, alguns deles hoje em dia chamo de amigos. Eu abri minha casa para o mundo, minha mãe (não fala nada além de português) tratou todos eles como filhos, e como ama ter visitas para mostrar os dotes culinários (que eu não tenho nenhum) aproveitava para fazer os melhores pratos possíveis e entre mímicas e desenhos se divertiu tentando conversar com os “estrangeiros”, e ao final só nos restam boas recordações de momentos em que o “mundo” passou por minha humilde residência, e algumas promessas de visita-los um dia.

“Por hoje é só, pessoal!”

Eu seria muito egoísta se não falasse sobre o CS. Enjoy 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s